Institucional

A Faculdade Ciências Médicas de Minas Gerais (FCM-MG) surgiu de um grupo de médicos, também professores, livres docentes e assistentes da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Minas Gerais. A motivação subjacente ao projeto para sua fundação era a deficiência de médicos no Brasil, e em especial no estado de Minas Gerais.

Particularmente em Minas Gerais havia mais de três centenas de municípios sem qualquer assistência médica ensejando a reprodução de condições precárias da grande maioria da população mineira. Ainda, a insuficiência de vagas ofertadas pela Universidade Federal em Minas, afastando promissores profissionais do exercício da função médica e, não menos importante, havia a necessidade de proporcionar aos jovens estudantes uma sólida formação moral e ética, fundamental ao exercício das atividades no domínio da saúde.

Nesse contexto, realizadas as providências protocolares e jurídicas indispensáveis, no dia 7 de novembro de 1950, por solicitação do primeiro Diretor, Prof. Lucas Monteiro Machado, dirigida ao então Ministro de Educação e Saúde, amparada pelo Decreto nº 421, de 11 de maio de 1938, alterado pelo Decreto de nº 2.076, de 8 de março de 1940, pleiteava que fosse concedida à FCM-MG a licença para funcionar regularmente. Submetida à avaliação de suas condições levada à apreciação da Diretoria do Ensino Superior, o Conselho Nacional de Educação, em sessão datada de 22 de janeiro de 1951, aprovou por unanimidade o parecer do Conselheiro relator, concedendo a licença para o funcionamento da Faculdade. Por fim, o Presidente da República baixou o Decreto-Lei nº 29.242, de 30 de janeiro de 1951, que credenciou a Instituição.